terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Como atrair os jovens para a Igreja?

Evangelho - Mc 2,23-28

Este Evangelho nos apresenta mais um atrito entre Jesus e os líderes religiosos, por causa das práticas religiosas. Trata-se da discussão entre o legalismo religioso e a verdadeira finalidade da religião. Os fariseus seguiam ao pé da letra as leis, porém a prática do amor ao próximo era uma coisa que para eles era secundária, e, portanto, deixavam de lado.

A bem da verdade, as religiões todas estão muito preocupadas em proibições do que em buscar uma forma simpática de motivar e atrair principalmente os jovens para o seio da Igreja.

Como vemos, com exceção de algumas cidades, as nossas missas estão vazias de jovens. E por que? Porque não encontramos ou não buscamos um jeito jovem de atraí-los para a Igreja. E uma das causas disso, é porque estamos martelando demais nas proibições, em vez de mostrar as vantagens de ser um cristão atuante, de seguir a Cristo, de ser um missionário atuante, em fim, de mostrar para o jovem em sua linguagem, o que ganhamos se formos cristãos de verdade.

Do mesmo jeito, precisamos nos preocupar em buscar, criar, novas formas de relacionamentos dos jovens com Deus e das pessoas e dos jovens entre si. Novas formas de rezar, novas formas de nos relacionar sem fingimento, com a maior autenticidade, novos expedientes ou técnicas de atuação do jovem na igreja, uma novacatequese que não seja superficial mas sim ATUAL E ATUANTE, em fim, buscar novas formas de praticar o cristianismo nos dias de hoje.

Temos de investir esforços no sentido de encontrar essa modernização ATUAL E ATUANTE. Ela não será fácil. Mais PARA DEUS NADA É IMPOSSÍVEL! Precisamos encontrar um jeito de tornar a religião uma atividade agradável e não uma coisa odiosa e insuportável, na qual Deus aparece não como um carrasco autoritário, mas sim como um Pai amoroso.

Porém precisamos tomar cuidado ao tentar por em prática essa nova mentalidade, para não tornar a religião em práticas pagãs supostamente católicas onde se dançam em volta de um deus que é bonzinho e nos deixa fazer tudo. Cuidado! Deus é amor, porém é justiça.

Assim como a diferença entre remédio e veneno está na dose, aqui também precisamos equilibrar a dose, não exagerando em mostrar somente o lado amoroso e misericordioso de Deus, mas sim, no momento certo, conduzir o jovem a descobrir que o agir certo é bom para ele mesmo. E é isso que Deus lhe sugere por amor a ele porque é para a sua própria felicidade.

A verdadeira religiosidade é aquela que cria valores baseados nos ensinamentos de Cristo e leva as pessoas principalmente os jovens, a atingir a maturidade em todos os sentidos para que eles descubram por si mesmo que vale a pena ser cristão no mundo de hoje, e que livremente eles possam optar por Deus, e o melhor, encontrar-se com Deus através de Jesus Cristo.

Por: José Salviano da Silva

Retirado do Blog Jovens e o Futuro . Acesso dia 17/12/2010.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário